A Aventura Humana de Deus

Leggi l’anteprima in formato PDF

Frei Vittorio Infantino

A Aventura Humana de Deus

Edição em papel
eBook Kindle


A Aventura Humana de Deus é a experiência de um homem que viveu na Galiléia. Um homem como somos eu, você, todos nós, os filhos da humanidade.
Esta é uma história de criaturas humanas. Nós que, enquanto habita-mos sobre a Terra, somos tão frágeis, somos, como Ele, uma realidade. Nós e Ele somos humanos. Depois de sua viagem na Terra, nossas trevas são transformadas em luz, nossa estupidez em sabedoria, nossa ignorância em conhecimento, a aridez de nossos corações em amor. Não vivemos mais para nós, mas em uma casa comum, como filhos do mesmo Pai.
Esta é a história que Deus escreveu para a nossa maravilhosa pequenez. É somente uma lembrança fascinante, ou um poema gerado por nossas autossugestões? Por acaso, tudo isto poderá, um dia, salvar o mundo com suas complicadas problemáticas, apavorantes mudanças de humor entre o bem e o mal, o ódio e o amor, e a depressão, compa-nheira de viagem em nosso tempo? Crer e viver pelas premissas do Filho do Homem, dilata o nosso coração e preenche a nossa existência e nosso agir com a pacífica onipo-tência de Deus.
Tendo certeza, pela fé, que buscamos o que, realmente, é, paramos de perseguir o que nós desejaríamos que fosse. Pois, a nossa espera é para algo que já foi realizado e que pode se realizar para cada um de nós. Por que o nosso futuro é fruto da Ressurreição de Cristo e tudo isto já é um começo do Paraíso. Não há nada de mais certo.

A Aventura Humana de Deus


Fotografia Frei Vittorio Infantino
Biografia di frei Vittorio Infantino

A Aventura Humana de Deus

A Aventura Humana de Deus, Frei Vittorio Infantino

O Ser Humano

Esta história tem início a partir do interior do ser humano, para depois encontrá-lo na plenitude de seu ser, em toda sua estrutura humana: corpo, inteligência, afetos, pensamentos, conhecimentos, amores e alma.
A aventura de uma vida é muito real e não pode ser enganada com uma alimentação sem conteúdo, morrendo assim, por falta de nutrição adequada, sem jamais chegar a seu total e completo desenvolvimento. Ela precisa de alimento físico para o corpo, ciência para a inteligência e espírito para a alma.
Desde sempre o ser humano é o centro do universo. Utilizaram-se fórmulas e sistemas religiosos para sua realização no mundo e, assim, tentou-se saciar sua sede de verdade e de vida.
Quando se pergunta “Afinal o que é o homem?”, as mais variadas respostas são dadas, mas quase nunca se chegou a uma definição real e completa, isto é, a uma definição da vida vivenciada e experimentada. Passaram-se meses, anos, séculos, mas tudo acabou no nada. Responde-se simplesmente: a vida é assim.
Certa vez, um filósofo escreveu uma pequena frase para defini-la: “Penso, logo existo”. Pelo fato de eu pensar, percebo que existo, isto é, sou um ser vivo.
Os antigos já se perguntavam, tendo uma ideia mais cósmica e universal, mas ao mesmo tempo, pessoal e existencial.
“Quando vejo os céus, obras de tuas mãos, a lua, as estrelas que o preenchem, eu me pergunto: o que vem a ser um homem mortal para que Tu, o criador, te lembres dele ou, ainda mais, um filho do homem, para vir em busca dele? Tu o fizeste pouco inferior a um Deus e enriqueceste-o com a glória e esplendor, deste-lhe poder sobre aquilo que Tu criaste, para tudo dominar e dirigir a seu fim”.
Porém, esta história não para, pois não se basta. Existe algo mais interior e infinito neste ser que nenhuma destas tantas riquezas pode saciar.
Assim, ainda na antiguidade, os escritores afirmavam: “Como os animais procuram os rios de água pura, assim a minha alma procura a Ti; ó meu Deus vivo! Quando poderei encontrá-Lo?”.
Mas, não é preciso incomodar a história e sua cultura feita de anseios, procuras e, muitas vezes, falsas respostas, incapazes de apaziguar completamente o coração e a inteligência. Esta sede de verdade é e continuará a ser uma fome eterna.
Durante os meus 54 anos de trabalho sacerdotal e missionário, perguntei sempre a todas as pessoas: qual seria o maior anseio que pudesse saciar esta fome de vida? Todos; pobres, ricos, jovens, velhos, homens, mulheres, repito, todos responderam: ser feliz.
Os pais sonham uma vida feliz para seus filhos. Quem ama deseja uma vida feliz para a pessoa amada e assim é para todos. Por isso, todos querem e procuram Deus sem que o saibam e mesmo sem conhecê-lo. Procuram-no, às vezes, até rejeitando ou negando sua existência. Mas, não é somente isto. Uma outra inquietação ou procura aparece no ser humano: saber e conhecer o porquê das coisas, dos acontecimentos e da vida.
Toda criança, quando chega a uma certa idade, começa a incomodar os pais com os conhecidos por quês. De cada coisa quer saber o porquê. Para todos, isto passa despercebido, mas para quem analisa o ser humano nas suas profundezas ou raízes, esta pergunta o leva a considerar as razões da existência.
As dúvidas e perguntas mais profundas irão chegar quando a própria existência golpear-nos: doenças, fracassos, morte e todo tipo de infortúnio. Precisamos das respostas, a menos que queiramos viver como os avestruzes, enfiando a cabeça na areia, à espera do fim. Mas, alguém pode perguntar: “Por que falar disso, sendo que é tudo óbvio e corriqueiro na vida?”.
Aí está o engano! Por que eu penso, preciso ter a percepção clara, não somente do meu existir, mas devo dar, antes de mais nada, um sentido e uma finalidade a todas as coisas e aos acontecimentos, se não quero ser irracional, o que me levaria ao mesmo nível dos animais e até da matéria, pois não saberia dar um sentido à própria existência.

.

A Aventura Humana de Deus


Articoli correlati

Commenti

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *